Doadoras e Receptoras de óvulos

Doadoras e Receptoras de óvulos

UMA INTEGRAÇÃO PERFEITA E ÉTICA QUE AJUDA CONSTRUIR FAMÍLIAS

É um livro que trata de um tema polêmico que desperta interesse entre os casais e curiosidade aos médicos.  É dedicado às mulheres que não possuem óvulos capazes de ser fertilizados e têm dificuldade em aceitar óvulos doados e também àquelas que querem doar seus óvulos, mas desconhecem como isso pode ser realizado.

É um livro ético que explica o aspecto legal e descreve passo-a-passo o procedimento para doação de óvulos. Mostra também, depoimentos de mulheres que doaram e receberam óvulos.

Existem muitas causas de infertilidade e praticamente todas são tratáveis. Entretanto, de todos os diagnósticos conhecidos, o mais difícil de ser aceito pela mulher é o da ausência de óvulos viáveis, isto é, o ovário não fabrica mais óvulos capazes de gerar filhos. É um momento de decepção e frustração muito grande, pois ela acredita que não será mais possível ser mãe. Este fato pode acontecer em mulheres jovens com falência ovariana prematura também chamada de menopausa precoce, de cirurgias mutiladoras, nas quais foram retirados ou muito manipulados os dois ovários; em idade avançada, quando os óvulos produzidos não formam embriões de boa qualidade, ou na própria menopausa na idade certa (ao redor dos 50 anos).         

Nos dias de hoje, cada vez mais, as mulheres retardam o casamento ou a busca de um filho por darem prioridade à sua formação e carreira profissional ou à conquista de bens materiais. Outras, ao redor dos 50 anos, reencontram uma vida afetiva feliz em um segundo casamento com um homem sem filhos e que deseja uma família. Outras, o destino quis que casassem mais tarde. Existem ainda casos de doenças genéticas e cromossômicas transmissíveis que, quando não for possível o Diagnóstico Pré-Implantacional poderão usar esta alternativa. Não importa o motivo. A solução para estes casos é a DOAÇÃO DE ÓVULOS. Estas mulheres podem ser mães e gerar seu(s) filho(s) no seu próprio ventre, tendo um bebê fruto do espermatozóide do seu marido e um óvulo de uma mulher doadora. Ou seja, o DNA da criança não será o da mãe que recebeu o óvulo, porém ela é quem vai gerar amamentar e criar este filho.

A primeira gestação resultante de uma ovo doação ocorreu em 1984, pois a paciente entrou em precocemente na menopausa. “No IPGO a doação de óvulos é realizada há mais de 10 anos, é ética e legal, contanto que não haja fins comerciais e seja anônima. Portanto, a doadora não saberá a identidade da receptora e vice-versa - é o que determina a lei e a ética.

Como todo o tratamento envolve questões delicadas é essencial o acompanhamento médico e psicológicoEste procedimento beneficia dois casais simultaneamente. “Aquele cuja mulher não tem óvulos viáveis para engravidar e o outro que poderá doar e com isso reduzir os custos do procedimento. Já que este é um processo em que duas FIV são realizadas concomitantemente.  Este livro tem como objetivo esclarecer as principais dúvidas sobre este tema descreve todas as etapas do processo de ovo doação e é divido em capítulos como descrito abaixo: 

  1. Receptora em idade avançada           
  2. Avaliando e selecionando as pacientes doadoras

  3. Como a receptora escolhe a doadora?
  4. Regras gerais para a doação de óvulos

  5. Quem pode doar óvulos
  6. Como é feita a doação de óvulos

  7. O tratamento da doadora
  8. O tratamento da receptora

  9. Apoio psicológico
  10. As regras éticas e legais

  11. Quadro resumido da avaliação das doadoras e receptoras
  12. Perguntas e respostas

  13. Depoimentos de doadoras e receptoras

Autores: Arnaldo Schizzi Cambiaghi e Daniella Spilborghs Castellotti  

Parceiros

     

 

Dra. Daniella S. Castellotti

CRM-SP 76.932

R: Groenlândia, 538 - Jd. América
01434-000 - São Paulo - SP
Tel. (11) 3051.8442

Fale Conosco